quinta-feira, 6 de maio de 2010

Que bom!



Onde a ‘Tiradentes’, com sopros de liberdade, rasga ‘Gabriel Passos’, jornalista e ministro de Minas e Energia; bem ali, bate o coração de São João Del Rei. Uma mineirinha esquina, onde caberia perfeitamente o nascimento do ‘Clube da Esquina’, porque também ali surgiram tantas outras turmas de amigos, e é onde os sonhos não envelhecem!
Uma quadra mística com filosofia única e vida própria. Nenhum corretor especulou seu valor, ela aconteceu despretensiosa como convém às boas coisas da vida. Numa tarde vestiu seu rótulo, abraçou seus filhos sentados em seus degraus, tornou-se ponto sem pudores, nem becos sem saídas, vinha da ponte ou descia do Bonfim, sentido destino.
Hoje em dia, talvez não se fale mais: “Vamos dar uma volta ali na Kibon?”. Atualmente é a Rua do Shopping, ou simplesmente ‘A Rua’. Mas esta história começa com doce sabor de sorvete, de uma sorveteria, lanchonete do Claudionor, único lugar nos anos 70 onde vendia Kibon.
Não importa como você a chama, é lá até hoje que se desfila o carro novo, a potência do novo som do carro, a namorada nova, se discute política e se abraça um velho amigo. É lá que se conta a última da fulana, o que o sicrano aprontou, e o que o beltrano fez desta vez. A moda passa por aquelas ruas, os costumes, as gírias, as regras, e a quebra delas. Atravessam-se os dias, se vão as tardes movimentadas e barulhentas, caem as noites agitadas, e se estendem as longas e alucinantes madrugadas. Ela vê partirem os anos em alegres réveillons, testemunha as fases da vida, as muitas gerações que caminham agressivas e outrora devagar. Na Kibon passo eu, passa você, passou ela interessada e ele apaixonado, juntos de mãos dadas e agora cada um numa calçada.
Lugar melhor não há para pitar o cigarro, tomar uma gelada ou um estimulante café e tamborilar os dedos na mesa, comer qualquer coisa na pressa, ver o tempo dissipar, brincar com a sorte, no meio-fio se equilibrar.
Eternamente jovem, embora com sabedoria de uma cinquentona, ainda é diversidade. Entende que se fecham Clever’s Bar, a sóbria Confeitaria da Vovó, se abrem Café Del Rei, perde-se Kuka, se encontra num Paiol, ouvindo Mozart cantar no Pizza Mia. Esteve adolescente na Max Burger, Peanut’s, Green’s, pastelaria Ok e hoje tem o Shopping Hills. Moradores vão e vem no Edifício São João, dança-se valsa no Salão dos Espelhos do Minas, janta-se sempre na Cantina do Ítalo. A noite é badalada do Postinho a outras esquinas, passando pelo Canjão que virou Sal e Pimenta e São Jorge, Pub’s, Terraço’s, Fio de Seda, Cantinho da Canja até o Zotti... Bares e boates de uma lista sem fim.
E passam por ela também as procissões já que estamos em terra de sagrado e profano. Em fevereiro parte dali o carnaval com a Bandalheira e terminam ali com outros blocos. Foram tantos pré-carnavais em vermelho e branco, azul e branco, e tantos carnavais, tantas multidões, tantas confusões. Palco pra comemoração dos jogos da Copa, político faz comício, um ou outro protesta na porta da prefeitura, ou se clama por justiça em frente ao fórum. As notícias estão nos postes em jornais provincianos, e também na banca. Se Kibon fosse larga e comprida avenida não seria tão deliciosamente completa, tumultuada e acolhedora!
Ah... alguma coisa acontece no meu coração, mas só quando eu dobro esta esquina, e ouço Jonh Lennon cantar “All you need is Love”.
Encontro que não precisa ser marcado, eu te vejo lá!

Foto: Antigo pôster que ficava em cima do bar da esquina (Kuka). A foto foi tirada do documentário 'Nós éramos assim'

10 comentários:

  1. Adorei tanto que vai pro Orkut, Bjs

    ResponderExcluir
  2. Quantas recordações daquele pedaço de São João, aiaiaia!!! Lindo, Kk! Bjo, Ju.

    ResponderExcluir
  3. Show! Resumiu mto bem essa mistura "de um tudo" em uma simples esquina!

    ResponderExcluir
  4. Manda pra gazeta vai...

    ResponderExcluir
  5. Valeu Leo!
    Obrigada Ju!
    Obrigada Babi! Mas decidi que minhas crônicas serão exclusividade de 'Ambição Literária'!
    E no próximo feriado, vejo vocês lá...na esquina! Bjos

    ResponderExcluir
  6. Parabéns! Meu filme rodou 40 anos passados quando aqui cheguei e me encantei por essa esquina amiga confidente e conivente.

    ResponderExcluir
  7. Amiga,
    sem comentários..., pois, as palavras somem no meio das inesquecíveis lembranças e mta saudadessssssssss
    bjos, Érica Arruda

    ResponderExcluir
  8. Muitas saudades mesmo Eriquinha!!! Ainda bem que curtimos bastante! Bjos

    ResponderExcluir
  9. Parabéns KK! Esquina do kibon, patrimônio! ÓTIMO TEXTO! Abraços!!
    Jefferson - (Sal e Pimenta)

    ResponderExcluir
  10. Que bacana Jefferson, que bom que gostou! Saudades imensas do 'Sal e Pimenta'!!! Oh tempo bom! Bjos

    ResponderExcluir